Já estamos trabalhando para a próxima edição do festival.

Diretrizes do PERCPOA 2012 – Música nas Escolas


Mestre Gersy Saraiva

O PERCPOA 2012 - Festival de Percussão de Porto Alegre em sua terceira edição versará sobre um tema bem atual e de fundamental importância na sociedade de hoje e no combate a violência. O ensino de música nas escolas, e todas as suas implicações e desdobramentos dentro do processo educacional público e privado das escolas e instituições sócio-educativas. 

Abordará temas étnicos culturais em consonância com a formação histórica e cultural do povo do Rio Grande do Sul na construção de sua cidadania e seus referenciais.

Também fará uma homenagem ao Mestre Walter Calixto Borel um dos patronos do evento, laureado na primeira edição, com o Prêmio Batuta de Ouro/2006 falecido no ano de 2011, teve relevante participação nos estudos africanistas brasileiros, deixando grande contribuição e legado ao povo gaúcho.

O formato do evento terá mesmo formato que os anteriores com shows de encerramento, oficinas e palestras de forma descentralizada nas instituições parceiras e espaços públicos, sempre com entrada franca.

O formato do show final de encerramento será em Aula-Show, apresentado pelo músico e professor licenciado Zé Evandro que possui larga experiência na realização de cursos e oficinas e curador também das edições passadas. 

Uma amostra do “Pandeiro Popular Brasileiro” método que desenvolveu ao longo de 30 anos de pesquisas sobre o instrumento, bem como, um apanhado sobre a participação dos músicos locais, mestres e ativistas culturais, que já desenvolvem e ou irão desenvolver aulas e cursos nas escolas e projetos sociais que existem ou estão sendo construídos no município e também em âmbito regional.

O que difere esta edição é que estará alicerçada na construção de uma discussão sobre a participação do músico educador nos mais variados projetos educacionais. Formando opinião crítica e discussão sobre o tema – Música nas Escolas.

A seminário show-final contará com cinco tambores fundamentais e alicerces da cultura étnica-gaúcha, representados por um músicos conceituados que farão uma breve explanação histórica sobre o mesmo e mostrará algumas de suas particularidades que são eles: o tambor de sopapo, o tambor de candombe, o tambor de maçambique, o tambor de religião afro-brasileira e o tambor  atabaque. No palco também ficará disposta algumas representações e personalidades escolhidas pela curadoria do festival.

Os debates versarão sobre a construção teórica em torno dos ritmos, usos e costumes da música percussiva, bem como, recentes publicações em torno da história da música no Rio Grande do Sul. Tais como: livros, revistas, teorias musicais aplicadas à educação, experiências pedagógicas vividas e produções textuais de músicas e poesia em torno do tema.

Ou seja, este evento pretende ser bem mais sócio-educativo e orientado, preparando novas platéias a serem agentes culturais, girando em torno do processo educativo musical a que estaremos voltados nas próximas décadas. Formando novos profissionais da música e para música, novos paradigmas nas práticas pedagógicas em sala de aula. Para que o público presente possa ter uma breve noção etno-musical na construção dos nossos valores, e como se preparar para este novo mercado que está se abrindo, deixando assim um registro para as futuras gerações e provocando discussões em torno do tema.










Zé Evandro
Músico, Professor e Antropólogo
Curador Artístico